Orçamentos de Obras


Orçamentos de Obras

O Orçamento é a avaliação do custo total da obra tendo como base preços dos insumos praticados no mercado ou valores de referência e levantamentos de quantidades de materiais e serviços obtidos a partir do conteúdo dos projetos, memoriais descritivos e especificações técnicas. Deve conter os seguintes itens: planilhas de quantidades, memórias de cálculo, planilhas orçamentárias, composições analíticas de custos, curva ABC de serviços e de insumos e cronograma físico-financeiro.

Dependendo da fase em que se encontra o projeto, o orçamento pode ser classificado em estimativa de custo, orçamento preliminar e orçamento analítico ou detalhado.

A estimativa de custos é uma avaliação aproximada do custo do projeto baseando-se em projetos anteriores realizados na mesma região da edificação ou em tabelas desenvolvidas por empresas privadas ou públicas. Este tipo de orçamento serve apenas como base para ter uma ideia de quanto será gasto. O grau de certeza é muito baixo nesse caso. Para obras de edificações, o indicador mais utilizado é o CUB (Custo Unitário Básico) resultante de uma pesquisa mensal pelo SINDUSCON de cada estado.

No orçamento preliminar o grau de detalhamento já é um pouco maior que na estimativa de custo. Nessa fase do orçamento já são estimados as quantidades e os custos de pequenos pacotes de trabalho. Dessa forma, já pode-se estimar as espessuras das lajes de concreto, da quantidade de aço e de forma por m³ de concreto, dentre outros.

O orçamento analítico é a maneira mais detalhada e precisa de se conhecer os custos envolvidos na construção de uma edificação. Neste tipo de orçamento, faz-se o uso de composições de custos de cada serviço que será utilizado na obra discriminando as quantidades de materiais, equipamentos e mão de obra por meio dos projetos detalhados. É necessário conhecer os custos diretos (materiais, equipamentos e mão de obra) e também os custos indiretos (custos com o escritório central, salários administrativos, impostos, lucros, etc.). O orçamento analítico é o mais preciso desses três tipos de orçamento e é o mais utilizado quando se tem um escopo bem desenvolvido e aprovado pelos interessados na obra.